Perú

Ao encontro da Cultura Latinoamericana.

Ao Encontro das Culturas Andinas é um itinerário de quinze dias visitando as culturas da Bolívia e do Perú!
A viagem foi realizada em fevereiro de 2011 durante quinze dias muito intensos entre uma variedade de paisagens, etnias, linguas, povos e cores, muitas cores!
O berço da civilização latino americana se percebe como um mixto de culturas pré incaicas, incaicas, coloniais, virreynais e o que resultou de tudo isso!
Dentre as crenças pré incaicas, datadas de 1500 anos antes de Cristo ainda persistem a percepção do mundo dividido em três reinos: 
O reino do Condor, do Puma e da Serpente e há fartas referências nos sítios arqueológicos desta base cósmica. A lingua aymara. Os cultos à Pacha Mama, a mãe terra, são anteriores ao advento Inca.
Da cultura incaica de 500 antes de Cristo,  sobrevive, o  gênesis Inca da criação do mundo pelo Deus Wiracocha, surgindo do fundo do Lago Titicaca e criando o primeiro homem Huaina Capac e a primeira mulher, Mama Occlo, onde estão a ilha do Sol e a Ilha da Lua. Os três preceitos: aprende, trabalha e ama. E a lingua quechua são parte do legado Inca, mantido até 1.532, com a chegada de Pizarro, o primeiro colonizador espanhol nestas terras.
Da época colonial, o legado arquitectónico da Espanha aparece em milhares de ricas igrejas, templos e mosteiros, construidos durante o apogeu da exploração do ouro e da prata, muitas vezes, ostensivamente sobre as ruinas dos gloriosos templos Incas, destruidos...

E a lingua castelhana, falada oficialmente. No legado virreynal, os três preceitos incas foram retraduzidos com a máxima: Não robes, não mintas, não sejas fraco!
O que resultou de tudo isso é um sincretismo religioso, estético e estilistico, muito peculiar...
 O barroco nativo produto do encontro de pintores de arte sacra vindos da Itália e da Espanha e a genialidade e mão de obra de artistas aborígenes. 
O estilo Cuzqueño recheado de ouro de verdade aplicado no folheado da madeira dos altares e na pintura dos santos e das mais incríveis vírgens, fruto da fussão e adoração da Pacha Mama sob as vestes virginais. 
Mais discreta, mas não menos instigante, a iconografia dos padrões têxteis de etnias Jalquas na Bolivia, revelam o mundo não manifesto, caótico, povoado de criaturas que habitam as entranhas da terra... E os padrões de Tarabuco, o mundo manifesto, como o conhecemos, retratando coisas comúns como as celebrações do carnaval, dos casamentos, a plantação e cultivo da batata ou do milho, o pastoreio das lhamas e alpacas ... isso em minúsculas faixas coloridas.
A maestria no fiado e tecido da lã de alpaca e o uso dos corantes naturais, com técnicas milenares é uma das mais incríveis artes nativas vivas do altiplano, tanto na Bolivia, quanto no Perú.
Conhecer o berço da civilização da América do Sul, é uma incursão obrigatória e muito próxima do Brasil.

  • Facebook - Black Circle